Restaurante Temático

Estão a decorrer este ano de 2019, as comemorações do 5º Centenário da viagem de circum-navegação de Fernão de Magalhães. Foi no longínquo Chile que a nau Victória, largada a 6 de setembro de 1519 do sul de Espanha, passou do oceano Atlântico para o oceano Pacífico. Aí deixou a sua “pegada” com a atribuição do nome do navegador português ao estreito que separa os dois mares.

E o que mais nos une, gastronomicamente falando? Entre Portugal e a zona da cordilheira dos Andes? O feijão. Exatamente, o feijão!

Recentemente, um grupo de Cientistas da Universidade Nova de Lisboa concluiu, na sua investigação, que o feijão português (representa 75% do consumo de leguminosas em Portugal) é muito semelhante ao feijão do sul da América (base primordial da alimentação daqueles povos), podendo, pois, inferir que foi de lá que ele veio para Portugal.

O termo “leguminosas” abrange um grupo de plantas cujo fruto é uma vagem, como o feijão, o grão de bico, as lentilhas entre outras e que, este ano, são o motivo principal do Restaurante Temático:

O Feijão é o nome comum para uma grande variedade de sementes de plantas da família Fabaceae. Proporciona nutrientes essenciais como proteínas, ferro, cálcio, vitaminas (principalmente do complexo B), carboidratos e fibras. O feijão-comum (Phaseolus vulgaris) é a base de várias sopas, pratos de carne e alguns de peixe e ainda em alguma doçaria.

A ervilha é uma das “primas” do feijão, da qual existem mais de duzentas variedades, e de suas vagens são extraídos diversos tipos de grãos. O seu consumo contribui para uma dieta equilibrada pois constituem uma excelente fonte de fibras.

O grão-de-bico, também chamado de gravanço, ervanço, chícharo, ervilha-de-galinha ou ervilha-de-bengala, é igualmente uma leguminosa da família do feijão muito consumida na Índia e na zona mediterrânica, onde se inclui Portugal.

A lentilha é uma pequena planta trepadeira anual, da família das leguminosas, de origem asiática. É tida como a mais antiga leguminosa consumida pelo homem, sendo que os primeiros traços de sua cultivação datam de 7000 anos e é cultivada por todo o mundo.

O Chícharo, esse desconhecido, tem vindo, aos poucos a ser utilizado na nossa gastronomia e é muitas vezes confundido com o tremoço e até com o grão-de-bico. Os romanos designavam o chícharo por “circula” e são várias as indicações de que será proveniente do Médio Oriente, supondo-se que foi introduzido em Portugal pelo Sul, expandindo-se, de seguida, para as Beiras. Hoje é uma das leguminosas típicas das serras de Sicó-Alvaiázere.